Artigo

O que vendas me ensinou para a vida: 5 pontos do porquê qualquer pessoa pode ser um grande vendedor!

Desde pequena eu sempre fui muito tímida, vender qualquer coisa nunca foi meu forte. Quando entrei na vida adulta, pude testar e aprimorar técnicas de comunicação na rotina durante treinamentos quando ainda trabalhava na Ambev, também durante mentorias, palestras e diversas interações como investidora-anjo mas ainda assim não me sentia confortável para vender uma bala Juquinha. Sim, é exatamente isso que está pensando... Saber vender não é de forma alguma saber falar, é exatamente o contrário.

  E é isso que quero te contar... Aprendi a vender no sufoco, pela necessidade mesmo. Eu e minha sócia vendiamos, foi assim por uns bons meses. Depois fomos entendendo juntas que talvez eu pudesse tocar isso, me especializar, já que a empresa estava crescendo e precisava de alguém nesta frente. Começamos a dividir as funções e neste momento eu comecei a pegar gosto por vendas e ela se dedicou a outras áreas importantes para o crescimento do negócio, como Produto, MKT e conteúdos de nossos programas de Empreendedorismo.

   No início da empresa era tudo lindo, a criação do negócio, construção de hipóteses e validação do modelo de negócio, mas depois de um certo tempo chegou a hora do go to market, precisávamos ter uma estratégia clara e objetiva para chegar na meta de faturamento.          

    Essa é a primeira lição que todo empreendedor deve levar para vida, seu produto não se venderá sozinho, invariavelmente você precisará vender para alguém, para as primeiras pessoas que podem investir no seu negócio, para os primeiros colaboradores, eventualmente para sua família e sobretudo para si mesmo.

   Vender para si mesmo é estar apaixonado e acreditar que é possível chegar na visão do seu negócio, essa é a primeira venda que você deve fazer, venda para si mesmo! Você precisa acreditar fortemente que o seu negócio tem um propósito claro de resolução de um ou vários problemas. A partir disso, o  engajamento vem, as pessoas passam a acreditar no seu sonho junto com você, essa é a primeira venda que deve fazer. Por isso é tão importante ter um objetivo concreto, um sonho, uma frase que resuma o porquê a sua empresa deve existir.

   Adoro um exemplo do Edu Lyra da Gerando Falcões, ele fala para todos que quer mandar a favela para o museu. É muito claro a ideia central desta frase, correto? É simples! Ele simplesmente quer que as favelas deixem de existir e se tornem relíquias assim como as que encontramos no museu. Faz sentido?

  Neste sentido, podemos observar que criar uma frase de impacto faz com que você não se esqueça do seu propósito. Além disso, é muito importante, para manter o time alinhado no propósito e visão da empresa.

  Toda meta de crescimento em faturamento resulta de uma boa performance em vendas, não importa o que aconteça a sua empresa precisa vender. Costumo dizer que custo é igual a cabelo e unha se não cortar cresce. Porém você pode cortar custos, mas se não vender vai ter uma hora que a empresa não terá mais chance de existir, uma empresa só é uma empresa se consegue chegar aos clientes finais.


  O Alexandre Costa fundador da Cacau Show fala muito sobre o início da empresa:

"Venda! Se nós vamos fabricar virando a noite não importa! Venda! Vendas são o motor de uma empresa."

  Se você ainda acha que dá para seguir sem vender então eu te convido a seguir comigo nos próximos pontos.

     Vender é conectar pontos, é transformar possibilidades e pessoas em algo novo a ser construído, é manter uma rede de relacionamento. Tenha uma rotina semanal para ativar contatos relevantes, tenha isso como um hábito, pois não faz o menor sentido procurar pessoas somente quando precisa delas, em especial para vender para elas.

    Conecte pessoas a outras pessoas, não tenha preguiça de fazer networking, eu tinha muita! Quem vem do mercado corporativo sente isso quando começa a empreender, pois o networking é recluso dentro daquele microambiente que é a empresa em que se trabalha. Quando você empreende precisa expandir seu ambiente, pois as oportunidades de negócios, contratação de boas pessoas e acesso a informações relevantes vêm de outras pessoas. Portanto, conecte-se.

     Saiba que nós, seres humanos, não gostamos de levar não, isso porque conectamos a um processo de recusa de desaprovação pelo outro. Quando alguém diz não para o nosso produto podemos ter a dificuldade de desconectar este não a uma rejeição a nós mesmos. Mas esta visão precisa mudar agora!

    É fundamental o vendedor entender que faz parte do processo de ajuste do produto e do pitch de vendas. É a partir da equipe de vendas ou do vendedor, que pode em muitos casos ser você mesmo, que um produto é melhorado de forma consistente. São os diversos nãos que vão mostrar os caminhos.

    Um ponto legal e importante deste processo é você tentar se divertir com o não que levar, a cada não observe o processo e faça pequenas modificações até ajustar e entender o que funciona melhor para o seu cliente em termos de pitch de vendas, é preciso ter resiliência e flexibilidade para chegar a uma conversão boa. Alguns dos grandes mentores que tive dizia que conversão boa era acima de 30%, antes disso é muito treino e sola de sapato, vendendo rotineiramente.

    Até aí tudo bem, acho que não tem tanta novidade aí… Mas os 2 pontos que quero trazer agora talvez façam você se dar conta de algumas coisas:

PRO
Diagnóstico pro
do seu negócio

Se você tem um compromisso sério com você e com o seu negócio já sabe que não pode perder essa oportunidade.

QUERO ME INSCREVER

 Quantas vezes você falou com o seu cliente?

  Quantas vezes tentou vender para ele diretamente?

  Quantas vezes você observou o comportamento dele frente ao seu produto ou serviço?

  Quantas vezes você entendeu as dores reais e necessidades deles pessoalmente?

   Para ser um bom vendedor e ter bons vendedores na sua equipe é fundamental ter humildade, é isso mesmo! É preciso estar pronto para ouvir de forma verdadeira seu cliente ou potencial cliente. Tudo que você acredita, pode não ser verdade e acredite em 80% dos casos não é.

    Boa parte dos empreendedores preferem colocar a culpa no cliente, no mercado e na economia por não estar vendendo como gostaria. Claro que estamos sempre suscetíveis externalidades, mas bons vendedores procuram entender de fato de onde realmente vem o problema, tentam novos métodos e formatos, se necessário for encontram novos canais e oportunidades de vendas.

    Sendo assim, converse com o seu cliente, converse muito, entenda as objeções que tem sobre o seu produto, busque entender a mente dele melhor que ele mesmo. Seja um especialista sobre ele e entenda:

  1. Que dores, problemas e necessidades ele tem que endereçam para seu produto?
  2. De 0 a 10 a prioridade dele para resolver determinado problema?
  3. O que ele já fez para resolver este problema?
  4. O que ele valoriza?
  5. O que ele gosta de fazer no tempo livre?
  6. Dados pessoais que permitam desenhar um perfil.
  7. Objeções em relação ao produto, o que não o fez comprar?

   Tenha humildade para ouvir coisas desagradáveis sobre seu produto, sobre seu atendimento e esteja muito aberto a isso. Vai fazer a diferença no processo final.

 E por fim, é fundamental ter foco no seu perfil de clientes. Receber não é difícil, mas falar não para potencial cliente é pior ainda. Dói muito, mas é necessário, apenas venda para o seu perfil ideal de cliente, quem é aquele cliente que tem um encaixe perfeito para o produto ou serviço que você comercializa. Você só vai entender isso se de fato tiver humildade para falar com o seu cliente e entender de fato quem ele é, existe método para isso e vou te mostrar nas próximas publicações.

   Dividir para conquistar, esse é meu lema quando falamos em vendas, aqui na Boomit, já sofremos muito com o fato de não focar em um público só e nos custou muito caro, custa pelo marketing que fica pulverizado e não sabe a direção que deve seguir pois vira multifoco. Os colaboradores não sabem para quem trabalham e perde-se muitas vezes até o propósito.

Isso não quer dizer que você não possa ser referência para um público e ir ampliando aos poucos com o tempo e com a segurança no processo, mas comece focado, no marketing digital, no marketing tradicional e sobretudo conheça a sua persona melhor do que ela mesma.

  Em outros artigos vou falar mais sobre técnica e como é possível vender qualquer produto de um jeito muito leve e ao mesmo tempo matador.

    Você se identificou com este artigo? Gosta de vendas e outros temas de negócios e estratégia? Sou muito apaixonada por empreendedorismo e o impacto que ele causa é o motor para tudo que faço, inclusive para a fundação da Boomit, e para os Investimentos que fiz em outras empresas. Já acompanhei e mentorei pessoalmente mais de 300 empreendedores com o objetivo número 1 de compartilhar conhecimento, trocar e impactar. Realizei diversas pesquisas e mentorias com empreendedores e sei de perto quais são os grandes desafios que enfrentamos, mas juntos somos sempre mais fortes.  

   Por isso quero te convidar a participar de nossa mentoria online gratuita, com o foco de conectar empreendedores, mentores e investidores em uma rede exclusiva para debater e dialogar sobre os principais desafios do ecossistema empreendedor.

   Queremos fazer do Brasileiro o mais empreendedor do mundo!

    Entre para nossa rede de troca e junte-se aos empreendedores que querem fazer a diferença e se conectar com pessoas e negócios que buscam estar sempre em evolução.

 Fica meu convite especial para a lista de espera para as mentorias online gratuitas. Para fazer com excelência não podemos deixar turmas enormes, então já garanta sua vaga na lista para em breve se conectar comigo e com a nossa rede de empreendedores e mentores!

  Inscreva-se aqui!

  Te vejo nas mentorias ou no próximo artigo.

Quem escreveu:
Carolina Augusta

Cofundadora da Boomit, investidora anjo, especialista em comportamento empreendedor e gestão.

Você acabou de ganhar uma sessão de consultoria!
7 VAGAS RESTANTES