Artigo

Como conectar pontos e chegar a insights transformadores para o seu negócio.

Você já parou para pensar sobre o que te move a empreender?  Qual é o sonho pelo qual você está lutando, investindo centenas de horas de trabalho, de suor e de tanta dedicação? 

Por que motivo você perde horas e horas de sono pensando nos problemas e nos desafios de seu novo negócio – e por que acha que isso vale a pena? Para a maior parte das pessoas, o 'piloto automático' mental busca responder a esta pergunta definindo um objetivo: 'eu empreendo para ganhar dinheiro', 'para ter independência financeira', 'para ter o emprego dos sonhos', 'para ser meu próprio chefe', 'para lançar um produto novo', 'para garantir minha aposentadoria'... Mas nós queremos que você pense diferente. 

Para isso, vamos começar com um conceito básico, dizendo o que é e o que não é empreendedorismo. Empreender não é uma série de ações ou atividades que levam à criação de um novo negócio. Empreender também é isso, porém é mais. É uma mentalidade, é um estilo de viver - que se espalha para as mais variadas áreas da vida, da mais pessoal à profissional. 

O espírito empreender é irrequieto. É curioso. Desconhece limites - e quando encontra um, adora quebrá-lo. Ama explorar, testar, confabular. Não teme o erro, vendo nele uma oportunidade de melhoria. E tem paixão pelo fazer. Mais especificamente, quem tem espírito empreendedor enxerga o mundo através da ótica das possibilidades. "E se isso aqui fosse diferente"? "Como eu poderia melhorar este ponto"? Esta mentalidade se encaixa tanto na elaboração de planos de negócio, MVPs e fluxos de caixa quanto nas esferas mais pessoais de sua vivência, seja nas relações familiares ou no cuidado com a própria saúde. Assim, sendo uma mentalidade, um estado de espírito, empreender não tem começo, muito menos um fim. Vive-se o empreender durante toda a vida. É por isso que nós sempre falamos na jornada do empreendedor, assim em negrito mesmo, buscando transmitir essa certeza de que a vida empreendedora é um caminho – um caminho incrível, por sinal! – a ser trilhado continuamente por cada um. Então, quando a famosa pergunta "por que você empreende?" aparecer na sua frente, queremos que você tenha a confiança de evitar estipular um objetivo, mas pense em uma trajetória.

Nós empreendemos porque amamos a mudança, a evolução, o aprimoramento constante. Empreendemos porque queremos ver a vida com outros olhos, olhos que encontram oportunidades e soluções onde os outros só veem problemas. 

E nesse sentido, a jornada empreendedora traz lições tão valiosas que elas mal cabem em um e-book. Há muito o que ser dito, explicado e discutido sobre como os processos corretos de tomada de decisões e de auto compreensão ajudam sobremaneira qualquer empreendedor a ter sucesso na vida. Como esses processos são a chave para entender por que algumas empresas dão tão certo enquanto outras falham após inúmeros esforços. Mas, aqui neste e-book especial, queremos apresentar um conceito diferente. Ele pode parecer um pouco 'estranho' - e, por isso mesmo, duplamente interessante!

Queremos apresentar a 'serendipidade' (vamos usar também o termo em inglês, 'Serendipity') como o principal motor que impulsiona a máquina da jornada empreendedora. Se, por um lado, ela pode parecer como uma racionalização do mero acaso, queremos provar que o serendipity é, na verdade, o fruto do trabalho, da inspiração, das experiências e da paixão do empreendedor - mais aquele pouquinho de sorte que não pode faltar na vida de ninguém! Este e-book é sobre Serendipity. É sobre como entender, sob o prisma correto, os segredos da jornada empreendedora.

Sobre enxergar seu caminho empreendedor como a somatória de atitudes, pensamentos e ações constantes, concatenadas de maneira que geram, naturalmente, um caminho mais fácil para a realização dos seus sonhos. Ao final do e-book, queremos que você tenha mais confiança em dar asas à imaginação, criar novas possibilidades para aprimorar a sua vida e a das pessoas ao seu redor e se arriscar em caminhos que podem parecer inseguros no início, mas que certamente trazem a possibilidade de grandes avanços, conquistas e vitórias em sua vida. Vamos começar esta pequena jornada compreendendo o que é essa tal de 'serendipidade', e como este conceito é a síntese perfeita do que é ter o espírito empreendedor. 

DEFININDO SERENDIPIDADE  

“Serendipity” é uma palavra de origem inglesa, e o imponente Oxford Dictionary a define como ‘a ocorrência e o desenrolar, ao acaso, de eventos em uma maneira fortuita ou benéfica’.  Ou seja, serendipity seria... um ‘acaso’ bom. Não é apenas o dicionário Oxford que entende o serendipity de um jeito limitado. Quase todas as definições que encontramos na internet definem o termo como uma graça que casualmente cai no colo das pessoas, tornando-as mais felizes. No caso do mundo dos negócios, seria como se uma ideia completamente inédita e genial viesse à cabeça de repente e gerasse negócios lucrativos e duradouros por muitos e muitos anos... Sabemos que as coisas não funcionam assim. Mesmo os casos mais ‘incríveis’ de grandes feitos empresariais ou pessoais – aqueles que são constantemente vinculados ao termo ‘serendipidade’ –, quando analisados a fundo, revelam muita reflexão, planejamento e trabalho para que os aparentes ‘acasos’ acontecessem.

Serendipidade não é um mero acaso. A própria origem da palavra revela que há algo a mais por trás desta história... O termo ‘serendipity’ apareceu pela primeira vez há mais de 260 anos – mais especificamente, em 1754 –, criado pelo escritor inglês Horace Walpole. A origem foi uma historinha de conto de fadas na qual três príncipes ‘estavam sempre fazendo descobertas, por acidente ou sagacidade, de coisas que não estavam buscando’. Segundo a definição da Wikipedia, “graças à capacidade deles [os príncipes] de observação e sagacidade, descobriam “acidentalmente” a solução para dilemas impensados.

Esta característica tornava-os especiais e importantes, não apenas por terem um dom especial, mas por terem a mente aberta para múltiplas possibilidades”. E eis que somos apresentados, aqui, ao verdadeiro cerne do conceito de serendipidade. O “acaso” fortuito revela-se como não sendo tão aleatório assim...muito mais do que um produto da sorte, o acaso da serendipidade é fruto de uma maneira especial de enxergar o mundo ao seu redor. Ela é filha da experiência, do conhecimento, da criatividade e da mente aberta – isto é, tudo o que os príncipes do conto infantil precisavam, em proporções iguais, para ‘descobrir’ coisas incríveis nos lugares mais impensados.  

 Assim, podemos ‘redefinir’ – com todo respeito ao Oxford Dictionary! – a serendipidade como a habilidade de encontrar respostas a perguntas que não sabíamos que já estávamos fazendo em nosso inconsciente. Não é por acaso que falamos em ‘habilidade’ na definição acima. A serendipidade somente premia quem se prepara. Os acasos fortuitos realmente aparecem na vida das pessoas quando elas menos esperam, mas é imprescindível estar aberto à possibilidade de que eles ocorram e se preparar para isso – algo que a maior parte das pessoas se recusa a aceitar. 

“O acaso só favorece a mente preparada” LOUIS PASTEUR químico francês, um dos mais famosos cientistas de todos os tempos 

 Um dos casos mais clássicos, comentados e compartilhados de serendipidade foi do químico alemão Friedrich August Kekulé (1829-1896), havia uma pedra no sapato do químico, o  benzeno – uma molécula formada por seis átomos de carbono e seis hidrogênios. Ninguém compreendia como esta estrutura poderia existir, com essa quantidade específica de carbonos, dados os conhecimentos atômicos da época. 

Fascinado pelo problema, Kekulé estudou-o por anos, sem sucesso. Nada conseguia explicar a origem da estrutura do benzeno. Até que a resposta veio espontaneamente – a serendipidade! – dormindo Kekulé sonhou com Ouroboros, a cobra mitológica que devora o próprio rabo, símbolo de continuidade e eternidade. Acordou, então, de supetão – era isso! A estrutura do benzeno só poderia ser circular – como ele não havia pensado nisso antes! O benzeno foi o primeiro hidrocarboneto de estrutura circular descrito na história. Esta descoberta foi a base para a definição das estruturas de centenas de outras moléculas importantíssimas para nós. 

Em um sentido simplificado, pode parecer mero acaso o cientista ter percebido uma metáfora visual entre a cobra Ouruboros e uma possível estrutura circular de um hidrocarboneto. Mas o fato é que foi mais do que isso. Será que Kekulé teria feito tal ligação se não estivesse obcecado pelo problema? Se não tivesse passado centenas de horas abordando a questão da estrutura do benzeno, analisando-a a partir das mais diferentes perspectivas? Ou então se não estivesse com a mente aberta e a criatividade aflorada, percebendo que um símbolo mitológico poderia trazer dicas interessantes sobre o mundo subatômico? Como vimos acima, a serendipidade está longe de ser um mero acaso.

 “Sempre haverá serendipidade onde houver descobertas”  JEZZ BEZOS CEO da Amazon

O que a serendipidade tem a ver com o mundo do empreendedorismo? Como estes dois conceitos se comunicam e se interligam? Após apresentar a definição ‘real’ de serendipity, estamos prontos para encarar de frente a jornada empreendedora e entender o que diferencia um empreendedor de sucesso. Em 100% dos casos de sucesso empreendedor – seja ele em termos profissionais ou pessoais –, encontramos uma mesma sequência de atitudes e de maneiras de encarar a vida, completamente diferentes do que as pessoas seguem normalmente, e que permitiram dar aquele passo além, negócios prosperarem e soluções inovadoras serem postas em prática. 

PRO
Diagnóstico pro
do seu negócio

Se você tem um compromisso sério com você e com o seu negócio já sabe que não pode perder essa oportunidade.

QUERO ME INSCREVER

A JORNADA DO EMPREENDEDOR E A SERENDIPIDADE 

A jornada do empreender envolve algumas das mais fantásticas qualidades de uma pessoa, como determinação, foco, paixão, entusiasmo e criatividade. Mas ela exige muito em termos de tempo, de empenho, de resiliência. 

Não é fácil completá-la, e a grande maioria para no caminho. Seguir por ela significa ter a garra e o conhecimento para superar desafios diários, muitos deles tão complexos que, em um primeiro momento, podem parecer intransponíveis. Quando estes grandes desafios surgem, a verdadeira vontade de empreender é posta à prova. 

Muitos começam a se perguntar se vale a pena continuar lutando... Esta é a hora em que muitos negócios acabam perecendo. É a hora, também, em que o medo entra em ação, fazendo o empreendedor questionar se não seria melhor obter um emprego ‘tradicional’ e manter posição, cargo, salário, privilégios... É nessas horas de intenso escrutínio sobre o futuro de seus sonhos que o empreendedor mais precisa de ajuda. Afinal, este é o momento da virada, na qual seu sonho pode ser deixado de lado, como mera ilusão, ou então se tornar realidade, florescer e tomar forma. Seria ótimo nessas horas receber a resposta aos desafios facilmente, não é mesmo? Finalmente entender o que é preciso fazer para resolver os problemas e pode prosperar. Então... que tal uma pitadinha de serendipidade? 

Grandes desafios podem surgir na forma de falta de verbas, dificuldades em conseguir clientes, problemas pessoais entre membros da equipe, erros no produto ou protótipo sem soluções simples, no surgimento de novos e melhores concorrentes...

A serendipidade pode ser entendida como uma ‘descoberta’ fortuita, aparentemente aleatória, de algo que se encaixa perfeitamente àquele momento específico de nossas vidas.  Quando analisamos a história dos grandes negócios, há sempre – sempre! – um elemento de ‘serendipidade’ envolvido no turning point do negócio.  

Faça o teste: leia biografias de grandes empreendedores, veja filmes sobre sua história de vida, converse com pessoa inspiradoras. Tente identificar a serendipidade na vida delas. É bem fácil encontrá-la: trata-se daquele momento em que, ‘do nada’, a ideia que salvou ou moldou o negócio surgiu. 

Alguns chamam de inspiração, outros de sorte. Mas o termo correto é serendipidade. É o momento nas cinebiografias dos grandes empreendedores ou inventores em que seus olhos brilham de um jeito diferente, e eles têm aquela ideia genial, que faz o negócio seguir em frente e seus sonhos serem finalmente colocados em ação. 

Vimos também que a realidade da serendipidade é mais ‘pé no chão’ do que muitos imaginam. Afinal, apesar da aparência randômica, na verdade a serendipidade é um acontecimento fomentado pela própria pessoa. E é fácil provar isso analisando, novamente, a biografia de quem empreende com sucesso. A serendipidade só ocorre quando há o encontro de algumas competências fundamentais da jornada empreendedora.  Ela só funciona a partir da experiência de vida do empreendedor  da qualidade e profundidade de seu conhecimento sobre uma determinada área  da criatividade pessoal e  da capacidade de enxergar o mundo com uma mente aberta 

“Ninguém consegue ligar os pontos olhando para a frente; você só pode liga-los quando olha para trás. Assim, você precisa confiar que os pontos irão, de alguma maneira, se conectar no futuro. Você precisa acreditar em alguma coisa – na sua intuição, em destino, vida, carma, seja o que for. Este jeito de pensar nunca me decepcionou, e fez toda a diferença em minha vida”  STEVE JOBS Fundador da Apple 

Você já sabe que a serendipidade está longe de ser um acaso – como a maioria das definições tenta explicar, mas é fruto de muito trabalho! Mais do que isso, ela é um ‘bônus’ de quem segue a jornada empreendedora sabendo o caminho correto.  Nosso convite é para você estimular a serendipidade e ganhar insights poderosos sobre seu empreendimento. Como?  Durante 10 dias trabalharemos em um grupo fechado e selecionado aspectos do comportamento empreendedor para melhores resultados, maior produtividade e performance. Abrimos o processo seletivo para este grupo e estou esperando você, compartilharemos ferramentas, materiais e desafios para seguirmos juntos. Inscreva-se aqui.

Até breve!

Quem escreveu:
Polyana Giardino

Confundadora da Boomit, mentora de empresas e de empreendedores e investidora de projetos com impacto social no Brasil e na África.

Você acabou de ganhar uma sessão de consultoria!
7 VAGAS RESTANTES