Artigo

Avaliação comportamental: 5 maneiras de desenvolver soft skills.

Uma das grandes barreiras ao desenvolvimento de soft skills, as habilidades comportamentais, é que a maioria de nós não sabe ao certo como fazer isso.

Provavelmente assim como eu, você não foi ensinado na escola, onde passamos grande parte de nossa infância e adolescência, a desenvolver habilidades comportamentais, não de forma estruturada.

Certamente a continuidade de algumas atividades desenvolvidas no contexto escolar durante os sucessivos anos letivos contribuíram de alguma maneira para o pouco que aprendemos ao longo da vida sobre desenvolver soft skills, ou habilidades relativas ao comportamento. O conviver em grupo, realizar atividades esportivas e alguns outros compostos de atividades escolares nos iniciaram nesta caminhada, mesmo sem sabermos que isso estava acontecendo.

Embora algumas escolas tenham mudado seus currículos, enfatizando soft skills, a grande maioria ainda permanece no modelo onde as crianças ficam por horas a fio paradas para se envolverem em uma aprendizagem mecânica, até crescermos e descobrirmos o quanto a grande maioria de nós não foi nutrida de habilidades comportamentais e continuamos sem saber como podemos desenvolvê-las.

O que já sabemos sobre este processo.

Observando o sucesso daqueles que conseguiam alcançar seus objetivos no desenvolvimento dessas habilidades, identifiquei alguns pontos comuns a todos nesta avaliação comportamental e vou compartilhá-los com você:

1. Consistência importa

Não se desenvolve uma soft skill do dia para a noite, repetir continuamente é chave.

Inicialmente o ato de repetir é inclusive mais importante do que a qualidade do resultado final. Você está ensinando ao seu cérebro o novo modus operandi que quer e para isso terá de repeti-lo até ser algo realizado sem esforço por ele.

Para mudar um comportamento é preciso transformá-lo em hábito, repetindo-o até que esteja automatizado e incorporado, não é simples, mas é possível.  

A  jornada de desenvolvimento de habilidades comportamentais não tem um tempo certo para acontecer, mudar incomoda seu cérebro, o cortisol – hormônio do estresse – é liberado causando irritação, e nos sentimos sobrecarregados tendo que pensar nesse hábito com frequência. Se não houver persistência, essa é a hora que perdemos todo o trabalho. Manter a motivação em alta e a satisfação de estar conseguindo cumprir as metas é fundamental para o sucesso.

2. Primeiro a necessidade, depois o aprendizado

Desenvolver, transformar envolve desejo. O comportamento é a expressão de diversos fatores que envolvem nossas memórias, vivências e valores. Desenvolver uma nova habilidade comportamental precisa conversar com a nossa história pessoal e desejos.

Qual é o seu objetivo com este caminho? Em quais áreas pode impactar positivamente? Por que faz sentido para você?

Quanto mais distante dos nossos valores, memórias e desejos, mais difícil desenvolver e mais tempo pode levar.  A mudança de comportamento só se torna permanente se o cérebro julgá-la fascinante ou importante.

Vi muitos empreendedores tentando desenvolver habilidades que as pessoas diziam ser importantes, mas que eles não estavam verdadeiramente convencidos de que fazia sentido priorizar naquele momento, não havia um desejo real que pudesse sustentar o processo de desenvolvimento, logo abandonavam.

Para mudar é preciso querer, por isso, não dá para ninguém querer mudar o outro, auxiliar a mudança, incentivar e orientar sim, mas desde que haja o desejo da pessoa de mudar.

Lembro-me de um CEO se dedicar persistentemente ao desenvolvimento da comunicação e persuasão depois de ter perdido um grande negócio, ele julgou não ter passado a mensagem da melhor maneira e percebeu uma necessidade, desejou fazer aquilo melhor do que todos.

Neste sentido, depois de desejar, busque alguém que possa te ajudar a concentrar atenção, a focar em ideias e ações específicas, a persistir, isso pode ser de grande valia.

3. Experienciar

Ler sobre a habilidade que gostaria de desenvolver é importante, alimenta seu tanque de motivação, mas nada substitui a prática no processo de desenvolvimento.

William Glasser foi um psquiatra americano que teve suas teorias aplicadas também na educação, ele resumiu parte de uma de suas pesquisas sobre aprendizagem nesta pirâmide:

Como nosso cérebro aprende.
PRO
Diagnóstico pro
do seu negócio

Se você tem um compromisso sério com você e com o seu negócio já sabe que não pode perder essa oportunidade.

QUERO ME INSCREVER

Praticar, praticar e praticar para depois, quem sabe, ensinar ao próximo.

Não perca a oportunidade de colocar em prática a habilidade em desenvolvimento, muitas vezes será totalmente desconfortável e isso faz parte do processo, busque por essas oportunidades. Assim você aumenta significativamente as chances do real aprendizado.

Glasser também ressalta o suporte de alguém para conversar, discutir, perguntar, praticar no processo de aprendizagem e desenvolvimento, tenho vivenciado na prática o quanto um acompanhamento impacta e até criei um sistema de suporte para empreendedores que gostariam de desenvolver-se.

4. Uma coisa por vez

Vamos ao manual de desenvolvimento de uma nova habilidade comportamental, elel juntará tudo que vimos até agora, consistência, necessidade / desejo e prática em uma regra de ouro: um por vez ou melhor ainda, em micro-hábitos.

Seja a pessoa com objetivos ridículos e resultados impressionantes, em vez de uma das pessoas que têm objetivos impressionantes e resultados ridículos. Stephen Guise, autor do livro Micro hábitos.

Utilizando o exemplo do CEO que desejou ser um excelente comunicador:


1 - Ele definiu o que queria: ser um excelente comunicador.

2 - Ele desejou, sentiu a necessidade. Verifique sua motivação, você realmente quer? Por que? De 0 a 10 o quanto deseja intensamente isso?

3 - Focou neste objetivo primeiro, não resolveu ser um excelente comunicador, ter um relacionamento melhor com os outros e ser mais criativo de uma vez. Tenha UM foco.

4 - E agora começa a parte interessante: ele o encolheu até ficar estupidamente pequeno, tão pequeno que o seu cérebro jamais jogaria contra uma ação que demandasse tão pouca energia para ser implementada diariamente.

Todos os dias no trajeto de casa para o trabalho, gravava no celular o áudio dele apresentando o produto.  Ele não tinha que mostrar para ninguém, ele podia errar, ele só repetiu inúmeras vezes até ser extremamente natural e melhor que o anterior.  E só depois deste estágio é que sofisticava um pouquinho mais.

5 - Ele definiu o quando: no trajeto de casa para o trabalho. Defina o lugar que este hábito terá em sua vida.

O novo comportamento desenvolve-se mais rapidamente quando é uma ação diária, tente indexá-lo a uma outra atividade habitual: depois do almoço, antes de deitar, etc.

Ou até mesmo a uma hora específica, todos os dias às 8h da manhã, por exemplo. Pesquisas sugerem que acoplar a outro hábito diário traz mais resultados, o importante é tomar esta decisão e deixar o micro hábito fácil de ser implementado.

Quando eu estava retomando o hábito de minhas atividades esportivas precisei acionar a humildade de encolher meu antigo hábito de corridas de aventura, canoagem entre outros a uma simples caminhada de 30 min pela manhã e só. Depois de algumas semanas estava fácil aumentar um pouco e agora estou de volta com a regularidade necessária.

Fiz o mesmo para a musculação, prática que nunca fui fã. Para incorporar como hábito eu coloquei a meta de fazer apenas 3 aparelhos por dia e sem me preocupar com o peso, não tinha sofrência na hora de ir para a academia, afinal, era rapidinho, sem ter que colocar muito peso, etc.

Resultado, dado momento, com as micro evoluções, achei fácil colocar mais aparelhos, mais peso e agora mantenho um ótimo treino. É fato que eu despertava olhares curiosos sobre o meu treino ultra rápido, mas fiz questão de espalhar para aqueles que eu sabia que também não tinham amores pela modalidade, a maioria usufrui até hoje desta técnica bem sucedida e hoje curto “puxar ferro".

5. Exercício: uma escola completa.

Os cientistas ainda não sabem ao certo porque, mas o exercício parece ser o hábito que inspira e impacta o maior número de outros hábitos, eu o chamo de hábito-chave.

Não por acaso o exercício fazia parte da rotina da maioria dos empreendedores de sucesso que acompanhei, deixando claro que sucesso para mim é alcançar aquilo que você planejou, almejou.

Este hábito gera certa disciplina, planejamento, estabelece objetivos, traz desafios, te conecta com outros e nem estou pontuando os aspectos biológicos.

Não há razão que me convença do contrário: TODOS deveriam ter alguma prática esportiva incorporada em sua vida. Só há benefícios e impacta diversas áreas da vida. Coloco minha prática pela manhã e claramente sinto a diferença na minha produtividade diária.

Quanto você tem negligenciado este hábito-chave? Eu comecei indo a pé para o trabalho: sem custo e levava o mesmo tempo que de carro (aff trânsito de São Paulo), estava embutido no tempo de deslocamento que eu teria de qualquer maneira, meu escritório fica a 12km de casa.

Um estudo realizado com 200 pessoas pela Universidade de Bristol, do Reino Unido, mostrou o impacto imediato dos exercícios físicos sobre a produtividade.  Os resultados foram incríveis. Nos dias de treino, os participantes mostraram um poder de concentração 21% maior, 41% dos participantes mostraram maior motivação para trabalhar e 25% terminou o trabalho antes do tempo.

Que tal começar por este micro-hábito? Alguns passos pela manhã, não precisam ser 12km. Por que não receber os inúmeros benefícios desta simples prática? Ela impacta tremendamente em seu desempenho como empreendedor.

Soft não, são Power Skills.

Não gosto do nome Soft Skill, não acho justo. Algo como habilidade macia ou leve na tradução livre não faz jus ao seu poder.

Elas separam líderes dos outros, criam oportunidades de negócio, unem as pessoas, são habilidades poderosas! O que pude acompanhar não desmente, empreendedores extremamente inteligentes e capazes fechando as portas ou enfurnados em grandes desafios por falta de habilidades comportamentais. Tanto foi assim que recebi inúmeros chamados de suporte para estas áreas, que criei sessões de mentoria com este foco, tiveram tanto sucesso que precisei gerar uma lista de espera.

Você se identificou lendo este texto? Quer entrar para as sessões de mentoria online gratuitas com este foco, fazer uma avaliação comportamental e desenvolver power skills? Tenho uma paixão especial por comportamento, métodos de aprendizagem, acompanho muitos empreendedores e hoje sou considerada uma especialista em comportamento empreendedor, meu único objetivo é compartilhar, ajudar e impactar o maior número de empreendedores brasileiros possível.

Essa é inclusive a missão da Boomit, fazer do brasileiro o mais empreendedor do mundo.

Por isso atuamos desde a base implementando empreendedorismo nas escolas até grandes empreendedores experientes. Quando queremos a mudança, temos que fazer parte dela.

Fica meu convite especial para entrar aqui na lista de espera para as mentorias online gratuitas com foco em desenvolvimento de habilidades comportamentais comigo, as power skills. Para fazer com excelência não podemos deixar turmas enormes, então já garanta sua vaga na lista para em breve se conectar comigo!


Te aguardo e até breve!

Quem escreveu:
Polyana Giardino

Confundadora da Boomit, mentora de empresas e de empreendedores e investidora de projetos com impacto social no Brasil e na África.

Você acabou de ganhar uma sessão de consultoria!
7 VAGAS RESTANTES